Semana de moda em Paris Inverno/2016

A ultima semana de moda, que ocorreu em Paris, que trouxa grandes marcas, como Chanel.

Maison Margiela

Trouxe a alta-costura da linha artesanal, com menos agressividade do mélange, o militarismo também esta presente além da malharia, a roupa toda tem detalhes no lurex japonês com cores semitransparentes e metalizados prata.

Anthony Vaccarello

Referencias dos corsets, cm diferença nas amarrações que estão no quadris, alongando. Calça jeans esta presente, com couro em saias, blusas com capuz e casaco.

Courrèges

Mostrando jaquetas de vinil curtinha, sobretudos, vestido retos, macacões, tuo om pegada urbana e com influencia esportiva.

Balmain

Inspiração no barroco de Versalhes, deixando claro os tons paste e nas referencias ao corselet, arabescos e franjas. Com um toque moderno, usa justo e curto, valorizando os ombros.

Paco Rabanne

Inspiração no Japão, com referencias Gaultier Junior, misturando a alta-cstura com o streetwear, dando u8 conforto minimalista e urbano, as cores são básicas.

Vionnet

O longo predomina entre macacões e vestidos, as cores são mais neutras. São mais estruturados com leve acintutração com fluidez e leves plissados.

Loewe

Tecidos leves e plissados, co metais e couro esculpido, destaque nos materiais mais duros com movimento, como as mangas metálicas usada nos vestidos.

Lanvin

Rendas à New Romantics, os vestidos assimétricos com Know-how. A alfaiataria, bolero xadrez e lapela bordada. Os acessórios são bolsinhas saco, colares-gargantilhas.

Dior

Referencia a góticas suaves à Dior, cheio de textura, mangas e florais. Para equilibrar, usam um decote mais ousado, o V de ombro a ombro, depois, ganha variações desconstruídas e assimétricas. O comprimento midi e também curtos.

Rick Owens

Inspirado na obra “Cisnes refletindo elefantes”, cores no quadro icônico e volumes surrealistas. Destaque nos experimentos têxteis nos casacos, dando a impressão de derretimento.

Undercover

Querendo alcançar todas as idades, e vários tipos de mulheres, chamou a atenção com as calças amplas, casacos grandes, saias de tule e toques surreais.

Vetements

Com looks de colegial, minissaias xadrez, meias 7/8 e golas cobrindo o pescoço, ombros desajeitáveis, como se fossem crianças. Depois dão impressão que não se encaixam em nenhum padrão, com os ombros que ficam pequenos para os casacos.Com influencias de tribos urbanas como metal ou skull head na espécie de punk fetichista.

Dries Van Noten

Forte influencia foi o guarda-roupa masculino, com looks bem andrógicos, com alfaiataria e gravatas, mas com muito enfeite e brilho. Uso de pele e penas, o destaque no cabelo é ele dividido a meio.

Comme des Garçons

Referencias as roupas volumosas, intrincadas e “não-usáveis”, separação do mundo real das fabulas fashions. Imaginação de como seria os punks do século XIII, com tecidos florais e tons do ameixa e rosa quartzo. Influencias de armaduras com articulações, drapeados, tradicionalmente doces e femininos.

Elie Saab

Tema princesa mocinha, com rendas, bordados, franjas, peles e transparência, com jaqueta perfecito. A maquiagem é um olho marcado.

Balenciaga

Técnicas de alfaiataria com a realidade contemporânea, ousado com enchimentos nos quadris, streetwear e roupas praticas para o dia a dias, mas sem tirar o toque fashion.

Givenchy

Inspirado em labirinto, a coleção é cheia de estampas ousadas, e grande iconografia, com o olho de Hórus e asas de falcão, tudo inspirado no Deus do Egito. Uma pegada dos anos 60, com o preto nas peles, renda, e casacão.

Stella McCartney

Oversize é destaque da coleção, com silhuetas largas, tecidos macios. Vestido camisolas e aplicações de babados, também trás o jeans descolorido em casacos e blusas. Texturas diferentes como o metalizado e o veludo.

Céline

Com camisas oversize, semi-transparência, calça superampla, e blusa gola rolê, a ideia é dar luxo ao conforto.

Giambattista Valli

Vestidos de manga comprida, gola alta, decote V profundo e volumes nos casacos, e muito pelo. As estampas florais são o que mais chamam atenção, além das transparências, babados e plissados.

Yves Saint Laurent

Com o streetwear trás um lado kitsch espalhafatoso, em justíssimas curtérrimos em balonês, tecido de brilho com um ombro só. Como o “red carpeto quality” com delicadeza nos casacos em forma de coração, como se fosse um armário em “Dynasty”.

Chanel

O chapéu que Coco Chanel usava nos anos 50, tweed, P&B, inserindo elementos modernos como estampas de emojis, jeans, botas com vestidos e tailleurs, simbolizando o clássico da marca com uma ousadia quadriculada inspirada no matelassê.

Hermès

Peças discretas e mais sofisticadas, com tons laranjas e mostarda, as silhuetas são estruturadas e fluidas, chamando atenção para as mangas longas e sem decote. Tecidos nobres como cashmere, couro, camurça, lã e seda.

Valentino

Com referencias da dança de balé Russo e New York City Ballet, as saias são rodadas e de tule, vestidos de seda e veludo, em camadas plissadas com babados e bordados, tudo muito delicado, com contraste nas jaquetas e casacos pesados, com peças pretas dando a impressão de Cisne Negro.

Nina Ricci

Trás a sensualidade de forma bem feminina, mesmo com calça e casacão, transparência, fenda, alcinha e vestido midi, nas cores vermelho, verde e azul.

Louis Vuitton

Com elementos típicos de uniformes esportivos, como desenhos coloridos e malharia, destaque nos vestido-camiseta com uma saia mais assimétrica, lenço e o novo vestido-lenço, com estampa de corrente e tira de couro com fivela.

Kenzo

Com a pegada esportiva, com muitas estampas, como florais, listras, xadrez e tigre, com muito volume e texturas.

Yohji Yamamoto

Com tendência minimalista, parecendo masculino, mas com toques de sensualidade, silhueta longa em contraste de branco e preto. Casacos plissados discretos.

Miu Miu

Tema nobreza e miséria, mistura jeans com tecido nobre, patches, camisas e calças de montaria, chinelo incrustado de perlas e tecido de sofá, cortina em forma de vestido acinturado.

Sonia Rykiel

Retratado na sua família, inclui estampas, listas que são características da Maison e tem papel importante, uma pegada mais náutica em trios e calças.

Iris van Herpen

Vestidos cheios de volumes e texturas, dando o corpo de ampulheta, os tecidos são tecnológicos e dois looks foram eitos na impressora 3D.

Neith Nyer

Inspirado no jogo francês Les Loups-Garous de Thierceliex, as peças tem um ar urbano, destaques nos jeans, drapeados feitos de couro, as cores não neutras.

Haider Ackermann

Cores fortes, tecidos metalizados, estampas gráficas. As calças são justas e vestidos com fendas enormes. O militarismo esta bem marcante e o verde oliva.

080316-sombra-da-chanel-quadriculada04-550x538

O desfile da Chanel, trouxa também um destaque na maquiagem, com os olhos nas sombras quadriculadas, semelhante as maquiagem de sereias.

Beijinhos e brigadeiros ❤

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s